Peguei uma folha qualquer e um lápis. Pousei a ponta do mesmo na folha e tracei caminhos contínuos, entre espaços e reticências, pontos e vírgulas. Foi a melhor forma que achei de colocar minha paranoia pra fora. A noite veio me entorpecer, e aqui estou. Sentado, confuso, escrevendo sobre o quê? Não sei. A borracha, coitada, já fora tanto usada que pra segurá-la entre o indicador e o polegar se tornou tarefa um tanto quanto difícil. Uso-a como se tivesse o poder de apagar todo esse caos que toma conta de mim. Pensei em pegar a tristeza, a dor, a solidão e quebrá-las em linhas, fazer delas poesia. Porém, a poesia é bonita demais para palavras tão desprovidas de amor. Chega a ser irônico isso, tanto que dou risada sozinho. Até parece que amar não traz tristeza. Vira e mexe as pessoas reclamam desse sentimento. Bom pra uns, terrível para outros. E eu aqui, usando a dor dos outros como inspiração. Não me contento com a minha própria dor. Eu crio outras, pois dor nenhuma é suficiente pra mim. Dor nenhuma é suficiente pra um escritor, até que seja capaz de quebrar o bloqueio literário. Por isso muitos autores recorrem ao amor. Pois esse, meus caros, traz tanta dor que chega a transbordar.

Palavrisses.  (via trovejo)

Sinto muito. Sinto por sentir tanto, por me importar tanto, por amar tanto. Sinto por querer, por tentar. Sinto por não esquecer ou por não deixar de lembrar. Sinto, eu apenas sinto e sentir é uma droga.

Se eu pudesse.  (via diminuido)
Se “maktub” significa “tinha que acontecer”, então não existe palavra melhor para nos descrever…

Me esquecem… E depois falam que eu sumi.

Demi Lovato.  (via reprovador)

Eu te conheço, sei que você é solitário. E eu acho que você precisa de alguém que te queira. Bem, eu quero, então seja corajoso e me queira também.

Skins. (via sutilizar-se)

Meus “amigos”? Uns mentiram, uns se afastaram, alguns mudaram, e a grande maioria foi embora. Mas os verdadeiros estão aqui, comigo.

Tati Bernardi. (via reprovador)

Cansada de tudo que começa. Hoje eu queria alguma coisa que continuasse.

Tati Bernardi. (via reprovador)

O mundo fica mais bonito quando a gente carrega coisas boas no peito.

Clarissa Corrêa. (via meuslimites)